TV X Youtube: Quem domina a audiência?

Com a chegada da era digital e do streaming, principalmente, houve uma certa democratização da informação e do acesso a conteúdos personalizados, afinal, hoje em dia você não precisa, necessariamente, assistir o que é definido por terceiros. Hoje você é livre para assistir ou ouvir o que quiser, a hora que quiser.

Isso não significa que a TV seja pior que o Youtube ou vice-versa. Mas que os hábitos estão mudando e, dentro desse contexto, a forma de fazer marketing de produtos e serviços também teve que se adequar.

Porem, as mudanças no marketing não são algo novo, é algo que está em constante evolução, afinal, ele precisa seguir as tendências da sociedade no seu tempo. Assim, ele já passou por diversos meios de comunicação que estavam em voga nas suas épocas, como jornal, revista, radio, telefone e a televisão. Essa, um dos meios mais onerosos para fazer anúncios.

Para exemplificar isso que estou falando, vamos utilizar o horário nobre da Globo, que apesar de todas mudanças que vem acontecendo, ainda é bastante disputado e acaba atendendo apenas às grandes marcas, que podem pagar por ele.

Atualmente, os anúncios feitos no intervalo do Jornal Nacional, por exemplo, custam em media R$ 3 mil (por exibição) para apenas 30 segundos de exibição em território Regional(e cerca de R$ 700 mil para exibição nacional). Parece muito, não é mesmo?

Porem, é preciso entender o alcance desses anúncios que, apesar da internet, ainda atinge uma grande parcela da população.

Além disso, a televisão ainda possui um publico cativo e diferenciado que pode interessar grandes empresas. Um exemplo são as pessoas a partir dos 40 anos de idade, de classe media e baixa, que ainda têm na televisão sua principal fonte de entretenimento e informação.

E para exemplificar valores do Youtube, vamos utilizar duas artistas que estão em alta no brasil, Anitta e Ludmilla. Estreias de clipes da Ludmilla, seguindo informações da sua cota de anúncios, são comercializados por R$ 383 mil, já́ Anitta por R$ 200 mil. E apesar de no Youtube o alcance ser relativamente menor que o do Jornal Nacional, os valores de custos para uma campanha de marketing são menores, mesmo em eventos tão grandes como lançamento de clipe dessas duas divas.

Aqui, os anúncios são direcionados seguindo a lógica de que, se ela está assistindo esse conteúdo, muito provavelmente, ela vai se interessar pelo anuncio X. Dessa forma, diz-se que esse público do Youtube é específico e segmentado, porém, a efetividade dos tipos de campanhas, Tv ou Youtube, acabam se equiparando de certa forma.

O que você acha das constantes mudanças no Marketing? Conte pra gente suas percepções sobre o assunto e vamos compartilhar ideais. E não se esqueça de curtir e compartilhar o nosso conteúdo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Deseja receber conteúdo por e-mail?

BUSQUE POR CATEGORIAS

MARKETING
DIGITAL

IDEIAS E
INSPIRAÇÕES

INSTITUCIONAL

DESIGN

ESTRATÉGIAS

UNIVERSIDADE
POP